Escolas que se Abraçam
Paulo e Luiza em Conceição do Mato Dentro

Integrantes portugueses do Escolas que se Abraçam fazem agenda cultural no Brasil

Escritores que atuam no  Escolas que se Abraçam em Portugal estiveram no Brasil nas últimas duas semanas para participarem de atividades do programa em São Paulo (SP) e em Conceição do Mato Dentro (MG).

Como é comum ao Escolas, o intercâmbio entre os profissionais é fundamental para o fortalecimento das relações e das ações realizadas. Desta vez, estiveram no Brasil, Alexandre de Sousa, coordenador do programa em Portugal e curador do festival FOLIO. E   Luisa Paolinelli, escritora e docente da Universidade da Madeira. Eles foram recebidos pelos coordenadores brasileiros, José Santos, Selma Maria, Paloma Comparato e por Juliana Rajão, secretária de Educação do município de Conceição do Mato Dentro.

A primeira parada foi no Fli Sampa, a primeira edição do festival de educacão e literatura  realizado pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, ocorrido entre 1º e 5 de agosto no Centro Cultural São Paulo, na rua Vergueiro.  O evento foi oportuno para a participação em mesas e apresentação das experiências do Escolas que se Abraçam, como a publicação de livros escritos pelos estudantes que integram o programa.

De São Paulo, os convidados portugueses partiram para uma semana de agenda na mineira Conceição do Mato Dentro. Puderam visitar escolas e ver de perto os resultados alcançados pelo programa na cidade desde seu início em 2019.

“O projeto Escolas que se Abraçam já é um programa educativo de sucesso, permitindo às crianças das escolas de vários países lusófonos estabelecerem uma verdadeira rede de cultura, conhecimento e genuínos afetos. As sementes lançadas no chão de Conceição do Mato Dentro rapidamente germinaram e vão florindo pela América do Sul, pela África e pela Europa. Como uma árvore que vai crescendo, estendendo ramos, cada vez mais robusta, cada vez mais imponente. A língua portuguesa vai assim respirando profundamente, segura do seu futuro e da sua importância no mundo.” É com essas palavras que Alexandre descreve o programa.